5 Dicas para ser ágil em um mundo altamente competitivo

5 Dicas para ser ágil em um mundo altamente competitivo

Por Regina Campilongo

Artigo publicado originalmente em Economia S/A

Todos em sua organização conhecem os objetivos a serem alcançados durante o ano?

Se você não respondeu a pergunta com segurança logo de cara, você não está sozinho.

Estudos apresentados por James W Smither em seu livro “Performance Management: putting research into action“, apontam que somente 14% dos colaboradores entendem completamente a estratégia do negócio e sabem o que é esperado deles para atingirem as metas da empresa.

Isso significa que questões relevantes para o sucesso de um negócio, como: times de alta performance, superação de metas, encantamento do cliente, foco e prioridade, estão sendo negligenciados.

Como então ser ágil, em um mundo altamente competitivo e garantir o foco no que realmente importa? Aqui vão 5 dicas para colocar em prática hoje:

  1. Alinhe o propósito de cada participante ao objetivo do projeto ou tarefa. Dica: nem sempre é fácil saber qual é o seu propósito. Existem vários jogos ou dinâmicas que convidam times e líderes a se conectarem com o que realmente importa em suas vidas. Uma ideia é o “personal map”, mapa pessoal, onde cada participante registra quais são os principais temas de sua vida e compartilha com o grupo: família, hobbie, trabalho, formação acadêmica, valores … Esta atividade traz uma série de informações que o auxiliarão no alinhamento do seu propósito, do propósito da equipe e do projeto/objetivo.
  2. Assegure que todos em sua equipe conhecem integralmente o objetivo da empresa, da área e de suas tarefas. Faça perguntas como: De qual maneira você definiria o nosso objetivo? De que forma as suas tarefas agregarão valor ao projeto?
  3. Desafie a equipe e os pares a definirem como atingirão o objetivo compartilhado. Após o alinhamento do objetivo, convide o time a definir quais os primeiros e próximos passos para alcançá-lo. Faça um brainstorming– atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa – com “post-its” e depois monte uma lista de tarefas.
  4. Delegue e equilibre as competências e habilidades individuais, para que todos possam aprender e ao mesmo tempo não desistam por não se acharem capazes. Se você não confia o suficiente para delegar, identifique o que é necessário para desenvolver a confiança e gerar novas oportunidades.
  5. Defina um ritual de comunicação para que todos mantenham-se informados sobre a evolução das tarefas. Promova as “Daily Meetings” ou reuniões diárias e valide: o que você fez ontem? O que fará hoje? Como posso ajudar?

Um conceito que agrega todas as dicas acima é o conceito de OKRs (Objetivo e Resultados-chaves) e CFRs (Conversas, Feedback e Reconhecimentos), o qual garante que todos em uma organização estejam alinhados com uma única estratégia e trabalhem com entregas, prioridade, responsáveis e prazos claros.

Um exemplo de um ciclo OKR:

  • Objetivo: Melhorar o site da empresa
    • KR1: Redesenhar o layout do site
    • KR2: Aumentar a velocidade de carregamento em 20%
    • KR3: Alcançar 1 mm de visitas no mês (https://www.whatmatters.com/get-examples)
    • KR4: Aumentar o tempo médio de visita em 20%

Empresas como Google (YouTube), Gates Foundation e ONE Organization (do Bono Vox, U2), já utilizam o conceito com sucesso. Como diria Andy Groove, um dos fundadores da Intel e precursor desse conceito, “Eu fiz isso, sim ou não. Simples.”

Fonte bibliográfica: John Doerr, “Avalie o que importa”; Larry Bossidy e Ran Charan, “Execução”; JJ Shutterland, “Scrum na prática”; Paulo Caroli, “Lean Inception” e James W Smither, “Performance Management: Putting research into action”, Daniel Pink, “Motivação 3.0″e Jurgen Apello, “Management 3.0”

 Regina Campilongo – Sócia-fundadora da Moving Forward – Heads, professora, designer e facilitadora de programas de treinamentos comportamentais organizacionais, mentora estratégica ágil, Conselheira TrendsInnovation, Master IE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.